beatriz @ 21:15

3/3/12

ninguém sabe o verdadeiro eu. ninguém sabe quantas vezes eu me sentei no meu quarto e chorei, quantas vezes eu perdi a esperança, quantas vezes eu estive em baixo. ninguém sabe quantas vezes eu tive que segurar as lágrimas, quantas vezes eu senti como se eu estivesse prestes a tirar, mas não apenas para o benefício dos outros. ninguém sabe os pensamentos que passam pela a minha cabeça quando estou triste, como é horrível que eles realmente são. ninguém me conhece, e é isso que eu mais odeio.